NOVO ENDEREÇO

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

SECRETÁRIO NACIONAL DA TERCEIRA IDADE MINISTRA A PALAVRA PARA A IPB DE JOÃO DOURADO NA BAHIA

No domingo(02) o Rev. Pinho Borges, Secretário Nacional da Terceira Idade, ministrou a Palavra de Deus na IPB de João Dourado que é pastoreada pelo Rev. Clóves Azevedo. Na ocasião o Rev. Pinho falou da importância da conscientização necessária para o apoderamento da cidadania do Reino de Deus. Pois só desta maneira a igreja cumprirá de forma integral a missão dada por Deus. Este foi o último compromisso em João Dourado.


domingo, 2 de agosto de 2015

SNTI ENCERRA WORKSHOP EM JOÃO DOURADO MINISTRANDO PALESTRA NA ESCOLA DOMINICAL


O secretário Nacional da Terceira Idade (SNTI), Rev. Pinho Borges encerrou neste domingo(02) o Workshop da Terceira Idade em João Dourado, na Bahia, que aconteceu nas instalações da Igreja Presbiteriana de João Dourado.

Na ocasião o SNTI ministrou a palestra: Envelhecimento. Diga não aos preconceitos em classe única para a Escola Dominical.. 

sábado, 1 de agosto de 2015

WORKSHOP DA TERCEIRA IDADE NA IPB DE JOÃO DOURADO NA BAHIA


Neste sábado (01), o Workshop da Terceira Idade, reuniu no templo da IPB. de João Dourado idosos da igreja local, da Betel e de Gameleira dos Crentes. Na ocasião o Rev. Pinho Borges, Secretário Nacional da Terceira Idade, ministrou a palestra: A Igreja e o Estatuto do Idoso.
Houve a participação no louvor dos idosos de gameleira dos crentes, ao termino foi servido um lanche aos presentes, que receberam também um exemplar do estatuto do idoso.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

COMEÇOU NESTA SEXTA FEIRA(31) O WORKSHOP DA TERCEIRA IDADE EM JOÃO DOURADO NA BAHIA

Começou nesta sexta feira(31) o Workshop da Terceira Idade com a ministração da palestra Idoso sim. Velho não, pelo Rev. Pinho Borges.
No sábado(1) a programação começa as 16hs, com a ministração da palestra : A Igreja e o Estatuto do Idoso e no domingo(02) classe única na escola dominical a palestra será :Envelhecimento diga não aos mitos e preconceitos.

ÁLBUM DE FOTOS

quinta-feira, 30 de julho de 2015

VETO DA DILMA ROUSSEFF ACABA COM REAJUSTE DOS APOSENTADOS.


Não levando em consideração os apelos de milhões de brasileiros, idosos e aposentados a presidente Dilma Rousseff vetou o aumento dos aposentados, mostrando que não tem o menor respeito com aqueles que com suor e sangue construíram o Brasil.
Ao vetar a extensão da política de reajuste do salário mínimo para todos os aposentados do INSS, a presidente deixa de fora quase 10 milhões de brasileiros sem aumento num momento crítico da vida e de uma crise econômica que não foram eles que patrocinaram.
O veto foi publicado hoje, dia 30 de julho, no Diário Oficial da União.
No início do mês de julho, o Senado aprovou a Medida Provisória que prorrogava até 2019, o modelo atual de reajuste do salário mínimo e extensivo aos aposentados, numa resposta a luta dos idosos e aposentados com apoio das entidades representantes do segmento, houve vitória na Câmara dos Deputados no Senado.
O veto presidencial ao reajuste do Salário Mínimo prejudica milhões de idosos e aposentados.
Mas, ainda há uma esperança o veto presidencial vai ao Congresso Nacional e será apreciado pelos 81 senadores e 513 deputados.
Há uma chance para derrubar esse maligno veto.
Não vamos fugir da luta. Escreva para os parlamentares das duas casas para que eles derrubem o veto e mostrem que estão ao lado do povo brasileiro, para nossa alegria.
O Congresso Nacional, deve legislar para o bem do povo e não pode desprezar milhões de idosos aposentados injustiçados.
É preciso exercer pressão com dialogo, escrever e-mail para os senadores e deputados, usar as redes sociais, etc.

Você que ainda não é idoso ou aposentando entre nessa luta, senão a próxima vítima será você.

BRASÍLIA - IDOSO RECEBE 12 MIL REIS DE INDENIZAÇÃO POR IMPLANTE DENTÁRIO SEM SUCESSO


Reparação de R$12 mil foi motivada após erros cometidos pela clínica odontológica contratada pelo assistido
Cirilo Alves Martins é mais um exemplo de atuação efetiva da Defensoria junto à população. O motorista aposentado, hoje com 83 anos, conseguiu no ano passado uma indenização de R$ 12 mil junto a uma clínica odontológica após um serviço prestado de maneira insatisfatória. O idoso precisou esperar três anos para ter seu processo concluído, mas garante que valeu a pena.
Em 2009, ele precisou fazer quatro implantes dentários. O aposentado chegou a vender seu carro usado para pagar pelos R$ 6,5 mil do tratamento. Quase a totalidade da quantia foi paga à vista, após a realização do último implante mas, meses depois, Cirilo começou a sentir dores muito fortes. “Eu vivia entupido de antibiótico”, recorda o senhor, arrependido de ter realizado o procedimento. Quando procurava o consultório, as explicações eram sempre insatisfatórias. “Eu ia lá e me enrolavam só na conversa. Cheguei a esperar quatro horas para ser atendido”, afirma. Cirilo conviveu com as dores por oito meses, retirando gradualmente os implantes ao longo desse período.
Em 2011 e já sem as próteses, o aposentado decidiu procurar a Defensoria Pública para recuperar na Justiça o dinheiro empenhado no tratamento. A Defensoria conseguiu não só o valor integral da rescisão do contrato, como mais R$ 4 mil de danos morais pela dor e constrangimento que o idoso passou. A indenização, porém, foi reduzida após um acordo com o consultório, que só foi concluído no início de 2014. “Eu fiz um acordo com o advogado do dentista e combinei de receber cinco parcelas de R$ 2,5 mil”, explica Cirilo.
“Demorou, mas valeu a pena”, garante. O aposentado entende que a morosidade se deve às condições atuais do Judiciário, mas está satisfeito com o resultado final. “Fica meu agradecimento a todos os servidores daquele Núcleo, levando em consideração que sou um cidadão idoso, mas mesmo assim fui muito bem atendido.”
Cirilo Alves foi atendido no Núcleo da Ceilândia, perto do local onde mora. O núcleo funciona de segunda a sexta-feira entre 8h e 19h, prestando assistência em casos de família, cível, penal, inventários, violência doméstica e outros assuntos. Você pode entrar em contato com o núcleo pelos números (061) 2196-5150, (061) 2196-4452e (061) 2196-4448.
Matéria por Tainan Pimentel e Valquíria HomeroFotos internet
Da Assessoria de Comunicação
Publicado por Defensoria Pública do Distrito Federal

PARTICIPE ! - COMEÇA AMANHÃ/ SEXTA FEIRA


PLS 373/2015 - TRANSFORMA EM CRIME HEDIONDO O ASSASSINATO DE IDOSOS


Tramita no Senado Federal o Projeto de Lei 373/2015, para tornar o homicídio contra o idoso crime hediondo. De acordo com informações da assessoria do senador Elmano Férrer, autor do projeto, de 2011 ao primeiro trimestre de 2014 o Disque-100 registrou mais de 77 mil denúncias de violações de direitos humanos contra a pessoa idosa, e os tipos mais comuns de violação contra os mais velhos são a negligência (68,7%) e a violência psicológica (59,3%). Ademais, a faixa etária que mais sofreu abuso financeiro foi a de 76 a 80 anos. Em 2014, o número de denúncias chegou a 20,43%. E, em 2013, cerca de 50% dos infratores eram filhos de idosos. Apenas nos primeiros meses de 2014, o número subiu para 53%.
Violência física: 34%. Vítimas mulheres: 66,29%. Vítimas homens: 27,26%. Ainda de acordo com a assessoria, os dados confirmados pela Consultoria do Senado Federal são extraoficiais devido à dificuldade de acesso a dados fornecidos pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e pelo Conselho Nacional dos Direitos do Idoso (CNDI), órgãos federais responsáveis pela resguarda dos direitos da pessoa idosa.
Até 2050, aproximadamente 68,1 milhões de pessoas atinjam os 60 anos no Brasil.
O PLS 373/15 encontra-se na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal, na qual não foram apresentadas emendas no prazo regimental de 5 (cinco) dias úteis. Nessa Comissão, o projeto aguarda designação do Relator, o que deve ocorrer após a retomada dos trabalhos legislativos, em agosto. 
Extraído

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A INFLUÊNCIA PRESBITERIANA EM JOÃO DOURADO NA BAHIA. LOCAL DO PRÓXIMO WORKSHOP DA TERCEIRA IDADE

JOÃO DOURADO - BAHIA

A célebre frase sobre a futura avenida ao norte da antiga fazenda Canal é atribuída ao coronel fundador da cidade que, em merecida homenagem, hoje leva seu nome: João Dourado.


Conta a história que por volta do ano de 1759, portugueses que moravam na região do Rio D’ouro emigraram para o Brasil, e aqui deram origem à família Dourado. Mateus Nunes Dourado se instalou em Jacobina, onde conheceu Joana da Silva Lemos, com quem se casou. Dona Joana, mulher corajosa, era desbravadora de lavras de diamante e carbonato: saía à procura destes metais nas serras da Bahia com seus escravos e escravas. Da união entre Mateus Dourado e Dona Joana nasceu José da Silva Dourado, pai de João José da Silva Dourado. João José, ao tornar-se independente, comprou um lote de terra na Fazenda Lagoa Grande-BA, mas não fixou morada. Casou-se com Gardiana Cardoso Pereira e com ela teve 12 filhos, entre eles João da Silva Dourado – que voltou para Lisboa, para o seminário. O jovem se formou, mas não foi ordenado padre. Voltou para o Brasil e residiu Macaúbas-BA, cidade onde se casou com Carolina. Deste matrimônio nasceu, em 1853, na cidade de Caetité-BA, João da Silva Dourado. Foi lá que se casou com Geraldina Guardiana, sua prima, em 1878 – ano em que o novo casal se mudou para o Morro do Chapéu-BA.

Durante o período regencial, os indivíduos poderosos e de grande influência política eram também considerados responsáveis pela segurança do país. Estes recebiam a patente de Coronel, representavam as autoridades locais do Império e deveriam organizar os cidadãos a servirem em situações de emergência em unidades militares da Guarda Nacional. No entanto, a Guarda Nacional foi extinta, e a denominação permaneceu como forma de tratamento respeitoso aos grandes fazendeiros e proprietários de terra. O patriarca João José Dourado, avô de João da Silva Dourado, recebeu uma sesmaria de 1.800 km2, que se tornou patrimônio da família Dourado e recebeu o nome de América Dourada. O patriarca trouxe para a América cerca de 400 pessoas, que vieram explorar a lavoura de algodão e a busca de carbonato, diamante e ouro. João da Silva Dourado - o Coronel João Dourado, que também veio, explorou novos pontos deste novo e vasto território, e ali fixou residência.
Escavando o local, que era coberto de lajedo, por volta do ano de 1889 o Cel. João Dourado fez vários canais que funcionaram como reservatórios de água para a sua fazenda – que nomeou “Canal”. O casal João Dourado e Geraldina teve 18 filhos, dos quais 12 sobreviveram e constituíram, ali na Fazenda Canal, famílias numerosas.



Cel. João Dourado -  O milagre


Em meados do ano de 1900, Canal tornou-se pouso de boiadeiros, por se localizar próximo à variante pela qual trafegavam as boiadas que vinham de Mansidão e Santa Rita. Um boiadeiro por nome Benjamim Nogueira, piauiense de Corrente, também pousou na Fazenda Canal. Protestante, o boiadeiro ofereceu ao Cel. João Dourado uma Bíblia, e durante suas viagens sempre procurou falar a respeito do evangelho ao dono da grande fazenda. Em uma das estadias de Benjamim em Canal, o coronel João Dourado queixou-se da seca que há muito assolava o sertão baiano e da conseqüente escassez de água na região. À noite, o boiadeiro se ausentou das barracas de lona nas quais pousava com seus serviçais e, ajoelhando-se, pediu chuva para saciar a sede dos animais e de todos os sertanejos. Conta a história que, naquela noite de agosto, choveu forte.


Canal e os primórdios do Presbiterianismo no Brasil.

O reverendo Pierce Chamberlain, missionário presbiteriano no Brasil, chegou a Salvador em 1º de outubro de 1899. No ano seguinte iniciou seu trabalho como missionário itinerante, passando pela Ilha de Itaparica, Cachoeira e Santa Luzia. De lá, passou a fixar residência em São Félix. “Em 1903, saindo a cavalo de Senhor do Bonfim, Pierce chegou ao Canal de Irecê, tendo pregado em todas as localidades do percurso: Campo Formoso, Saúde, Caldeirão Grande, Jacobina, Miguel Calmon, França, Morro do Chapéu e outros pontos" (Matos, p. 161). Foi numa destas viagens que conheceu o coronel João Dourado, que mostrou ao missionário as localidades que vinha evangelizando apenas com seu conhecimento pessoal da Bíblia. O coronel foi batizado pelo missionário, que prometeu uma professora para alfabetizar a família do patriarca. Em março de 1904 chegava a Canal a professora Damiana Eleonor da Conceição e no dia 05 de fevereiro de 1905 foi organizada ali uma congregação presbiteriana – uma das precursoras no Brasil – pelo Reverendo americano William Alfred Waddel. Nesta época a Igreja de Canal era frequentada por cerca de cem pessoas.

O coronel João Dourado tornou-se um grande evangelista no interior baiano ao lado de missionários pioneiros, como Chamberlain, Cooper, Waddel, Reese, Anderson, McCall e Bixler, sendo também pai e avô de dois pastores presbiterianos: Augusto da Silva Dourado e Adauto Araújo Dourado, respectivamente.

Em 1906, a mesma missão americana que fundou a Igreja de Canal, hoje I Igreja Presbiteriana de João Dourado, fundou o conhecido Instituto Presbiteriano Ponte Nova, na atual cidade de Wagner-BA. Dos primeiros doze alunos, oito deles foram indicados pelo Cel. João Dourado, sendo quatro deles filhos seus.

O coronel João Dourado, evangelizador, patriarca da grande Família Dourado e fundador da cidade que hoje leva seu nome, faleceu no dia 09 de julho de 1927, aos 74 anos.


extraído de: http://www.joaodourado.ba.gov.br/novosite/index.php/cidade#sthash.SysbkD1f.dpuf

IGACI-AL : IDOSOS ENGANADOS POR FINANCEIRA SÃO INDENIZADOS.


IGACI-AL :  IDOSOS ENGANADOS POR FINANCEIRA SÃO INDENIZADOS.
LEIA MATÉRIA EM :
http://www.idosonews.com.br/sg/noticias/igacial-idosos-enganados-por-financeira-sao-indenizados/



Iguaci(AL) – Idosos enganados por Financeira são indenizados. Os idosos firmaram contratos irregulares motivados pela financeira. A juíza Marina Gurgel da Costa, titular da Vara do Único Ofício da Comarca de Igaci, condenou uma instituição financeira a pagar R$ 10.000,00 a dois idosos não alfabetizados por terem sidos enganados ao assinarem contratos de empréstimos consignados sem escritura pública ou procurador constituído por escritura. Cada idoso vai receber R$ 5.000,00 por danos morais e materiais.
Pessoa não alfabetizada só podem firmar contratos mediante escritura pública ou por procurador constituído por escritura pública, conforme o artigo 37, § 1°, da Lei 6.015/73, do artigo 104, Ill e do artigo 166, IV, do Código Civil.
No processo a magistrada relatou que o idoso era humilde, não alfabetizado e desamparado materialmente e os descontos comprometiam sua alimentação.
No outro processo, foi verificado que o empréstimo supostamente refinanciados tinham por titular pessoa jurídica de outro Estado.
Fonte: Assessoria
http://www.jaenoticia.com.br/noticia/19218/Financeiras-sao-condenadas-por-firmarem-contratos-irregulares-com-idosos

segunda-feira, 27 de julho de 2015

ORAÇÃO UMA AUDIÊNCIA COM O REI

ORAÇÃO  UMA AUDIÊNCIA COM O REI
Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto. Mateus 6:6

LEIA A REFLEXÃO EM
http://www.idosonews.com.br/sg/reflexoes-diarias/oracao-uma-audiencia-com-o-rei/